Estação BH

A estação de Belo Horizonte está inserida num ponto de grande relevância urbanística no centro da cidade, junto à Praça da Estação, ao Museu de Artes e Ofícios, ao Viaduto Santa Tereza, à Estação Rodoviária e ao Parque Municipal, os quais consolidam a região como polo de lazer e de cultura. Por essas características, tem vocação para ser mais do que um equipamento de transporte interurbano, mas um centro atrativo de novos usos. Pretende-se que a estação seja autossuficiente e possua qualidades de espaço público, capaz de incentivar a permanência e o usufruto pela população, possibilitando novas apropriações e tornando-se um novo marco.

Para aumentar a comodidade, foi proposta a expansão da plataforma, bem como a implantação de um drive para embarque e desembarque de passageiros com nove vagas para táxi. Está prevista também a reforma no acesso universal da estação, locando uma rampa de acessibilidade universal, protegida por guarda-corpo de vidro, e uma nova escadaria para acesso de pedestres.

O hall principal será simultaneamente um espaço de chegada, de circulação e de permanência, capaz de otimizar os fluxos e articular os demais espaços da edificação. Enquanto área não controlada, comporta instalações de uso público, como a bilheteria, o posto de informações, sanitários e um grande espaço livre para instalação de exposições. Nas adjacências do hall, serão instalados o café e uma praça de alimentação.

O lounge de embarque, por sua vez, corresponde à área controlada da estação: nesse espaço prevê-se um espaço de maior permanência dos usuários, sendo premissa de projeto a provisão de mobiliário e a climatização para maior conforto no momento de bordo e transbordo dos passageiros.

No segundo pavimento, foram instalados os hubs com salas de reunião, estações de trabalho flexíveis e áreas de convivência para os funcionários da empresa, assim como hubs colaborativos para gestão da estação.



Projeto transporte
Localização Belo Horizonte, MG
Ano 2022
Status projeto
Arquitetura BCMF Arquitetos
Autores Bruno Campos, Marcelo Fontes e Silvio Todeschi
Equipe Octávio Pena e Marina Penso

Tags:  Comerciais, Mobilidade