Parque Linear Mina das Águas Claras

Urbanismo

O Parque Linear da MAC é uma oportunidade única, com potencial de gerar uma nova visão de espaço aberto ao público a partir da reabilitação de uma área de mineração em processo de fechamento, deixando um legado positivo em termos ambientais e urbanísticos para as presentes e futuras gerações.

A área em estudo está situada literalmente dentro do cartão postal da cidade, escondida atrás do perfil da Serra do Curral que está abrangida na área de proteção ambiental do Parque das Mangabeiras e Parque da Serra do Curral. Um dos fatores que mais impressionam na área do parque é sua escala. Belo Horizonte carece de espaços públicos de recreação e entretenimento, sendo os existentes precários e insuficientes para a demanda crescente da população da RMBH. A proporção e localização da área tem o potencial de abrigar um dos parques mais imponentes no Brasil.

A cava é o grande ativo do local, abrindo para a cidade um lago enorme e de água limpa, o que inexiste em Belo Horizonte. Portanto, a cava tem o potencial de se tornar um dos principais polos turísticos na capital pelo seu caráter exclusivo, cercada de vegetação exuberante a poucos quilômetros do centro da cidade.

O parque foi setorizado em 3 partes principais: Transgrotônica, Esplanada e Ramificações.

Transgrotônica: eixo de acesso principal ao parque, destinado a cami­nhadas, cooper e passeios de bicicleta, com equipamentos de apoio (ginástica, descanso e lazer) pontuados estrategicamente ao longo do seu percurso, incluindo caminhos secundários e belvederes na superfí­cie do talude ao Norte; Mirantes, espaços/decks de contemplação, espaços de educação (es­tufas, viveiros), esculturas e obras interativas são algumas das possibili­dades de uso do parque. Ao longo desse caminho, serão introduzidas espécies típicas do Bioma do Cerrado, de forma a configurarem uma espécie de Jardim Botânico Rupestre, incluindo espécies transplanta­das para a recomposição de áreas degradadas; Uma lâmina d’água corrente (de apenas 1cm de profundidade) percor­rerá os principais pontos do parque, permitindo entretenimento e con­templação, além do fator climático suavizador.

Ramificações: caminhos alternativos, com caráter de exploração das melhores visadas da paisagem e da experiência do contato mais di­reto com a natureza, que partem tanto da Transgrotônica como da Esplanada, em direção à Mata do Jambreiro e da Cava / Serra do Curral, respectivamente.

Esplanada: A Esplanada é o coração do Parque, onde todos os cami­nhos irão desembocar, e para onde todos os usuários serão eventu­almente atraídos, concentrando a maior parte do programa de apoio, com potencial de abrigar uma infinidade de usos permanentes e temporários; A “Praça das Águas” terá várias fontes para a interação dos usuários com as “águas claras” da Cava, sendo o ápice do uso desse elemento estruturador do parque.

No outro nível da Esplanada estão propostos um “Bosque” com árvores frutíferas e um “Gramadão” do tamanho de um campo de futebol oficial, sendo um espaço totalmente flexível, aberto a vários tipos de usos: piquenique, ócio, esportes, passeios com cães, bicicle­tas, observação de pássaros, ginástica, eventos temporários variados (feiras, shows, cinema ao ar livre, festivais, peças de teatro, etc). Plataformas e decks de contemplação que ramificam a partir da Esplanada também estão presentes no entorno da cava, servindo de espaço contemplativo e de sossego.

As soluções conceituais e quantitativas aqui propostas para o parque, um equipamento privado aberto ao público, refletem o que consideramos o aproveitamento mais adequado da área em vista dos vários condicionantes físicos, naturais, legais, financeiros, urbanísticos, paisagísticos, ambientais e culturais.



Projeto Parque Linear Mina das Águas Claras

Área 3 ha

Localização Belo Horizonte, MG

Ano 2019

Autor Bruno Campos, Marcelo Fontes e Silvio Todeschi

Equipe Patrícia Bueno, Raquel Duarte, Lucas Fukuda, Mariana Lima e Patrícia Campos

Status Projeto